Cobrança por quilômetro rodado é uma das demandas apresentadas em audiência pública que discutiu o modelo de concessão da RSC-453

Uma audiência pública discutiu, na tarde dessa segunda-feira, 04, o modelo de concessão das rodovias estaduais para a iniciativa privada. O evento, realizado na Câmara de Vereadores de Lajeado, foi organizado pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa. A RSC-453, responsável pela ligação de Venâncio Aires a Mato Leitão, está inclusa no bloco 2 e é uma discussão.

Entre os pontos que foram criticados, está a falta de perspectiva para criação da cobrança por quilômetro rodado. Conhecido como free flow, o sistema permite a livre passagem pelas rodovias, sem praças de cobrança e pagamento de acordo com a distância percorrida. O valor poderia ser quitado através de tags semelhantes às já existentes em sistemas de cobrança automática ou por meio de equipamentos de captura das placas dos veículos em movimento.

O diretor de logística da Federação das Empresas de Logística e de Transporte de Cargas do Rio Grande do Sul, Paulo Ziegler, apresentou, por cerca de 15 minutos, uma análise do edital de concessão das rodovias do bloco 2. Para ele, a discussão sobre o sistema free flow deve ganhar força na região já que, com a redução dos custos com pessoal, a tarifa seria menor.

A previsão do preço que será pago pelos motoristas nas cancelas, na praça de Cruzeiro do Sul e em outras espalhadas pelas rodovias da região, é outro ponto que preocupa os gestores. Paulo Ziegler afirmou que valor de referência é elevado na comparação com a BR-386 e a RSC-287.

- Advertisement -
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado