Defasagem na Tabela SUS afeta busca por equilíbrio nas contas do Hospital São Sebastião Mártir

O déficit do Hospital São Sebastião Mártir voltou a ganhar destaque na programação da Rádio Venâncio Aires. Nesta semana, durante a primeira edição da Conversa com a Comunidade, o administrador Luís Fernando da Rocha Siqueira revelou que, em média, a casa de saúde gasta de R$ 600 mil a R$ 700 mil a mais do que arrecada. Na manhã desta sexta-feira, 20, o prefeito Jarbas da Rosa, atribuiu a defasagem da Tabela SUS ao problema que é observado em diferentes municípios brasileiros.

A Tabela SUS é responsável por descrever e prever os valores de remuneração para os procedimentos médicos, desde atendimentos ambulatoriais até cirurgias mais complexas. O cálculo da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB) demonstra que o repasse do SUS é defasado e são recebidos, em média, apenas 60% dos custos do que é prestado. Desde o início do Plano Real, em 1994, a Tabela SUS foi ajustada em apenas 93,77%, enquanto o INPC do período foi de 637,07%.

Para Jarbas da Rosa, falta vontade política em busca de soluções para os problemas enfrentados nos hospitais espalhados pelo Brasil. Segundo o chefe do Executivo, o Hospital São Sebastião Mártir desembolsa, em todos os meses, cerca de R$ 400 mil para o pagamento de financiamento e contraídos no passado para pagamento de fornecedores os funcionários. “Tem empresas no Brasil afora que buscam recursos e não pagam juros. Por que não se tem esse mesmo empenho dos governos com relação aos bilhões que hoje se estima que hospitais têm hoje de financiamento?”, questionou.

- Advertisement -
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado