Hospital São Sebastião se manifesta sobre superlotação do pronto atendimento e na UPA

O Hospital São Sebastião Mártir convocou a imprensa na manhã desta quinta-feira, 26, para uma manifestação oficial em relação à superlotação no pronto atendimento e na UPA-24h. O diretor técnico Guilherme Fürst Neto e o administrador Fernando Siqueira informaram que a casa de saúde já vinha com ocupação entre 75% e 85% desde abril, de uma forma constante. Nesta manhã, a ocupação chegou a 100% dos 114 leitos disponíveis nas alas particular e do SUS.

Segundo os administradores, a situação é tratada como um ‘fenômeno inesperado’ para esta época do ano. Doenças consideradas sazonais, de inverno, que se tornavam mais recorrentes entre os meses de junho, julho e agosto, já estão incidindo com mais frequência desde o mês passado em todo o Rio Grande do Sul. “Estamos desde abril sobrecarregados em todos os sentidos, tanto em número de atendimentos ambulatoriais na UPA e em pronto atendimento no hospital, quanto em internações. Nós temos um aumento de 50% na UPA, o que representa 2 mil atendimentos a mais em um mês”, destacou o médico Guilherme Fürst Neto.

Como forma de comparação, foram trazidos dados sobre atendimentos e internações dos anos de 2018 e 2019 (antes da pandemia) no Hospital São Sebastião e na Unidade de Pronto Atendimento. Em maio de 2018, a UPA teve 4.668 atendimentos; em maio de 2019, foram 4.730; e, neste maio de 2022, o número já chegou 5.500, devendo subir para 7 mil até o fim do mês. Em relação às internações no HSSM, em abril de 2019, foram 533. Abril de 2022 fechou com 598. Em maio de 2019, 548 pessoas foram internadas. Neste maio de 2022, já são 593 – número que vai subir ainda mais.

Entre as medidas apresentadas pelo HSSM, está o reforço das estruturas de atendimento, com contratação de novos médicos e equipes de enfermagem, o que deve demorar ainda alguns dias para se concretizar, por questões burocráticas. “O principal pedido à população é que tenha compreensão. De que tenha entendimento do momento. Sabemos que o atendimento não é o ideal, mas a diretoria está preocupada e as equipes estão trabalhando”, frisa o diretor técnico.

Uma reunião com o prefeito Jarbas da Rosa, a vice-prefeita Izaura Landim e o secretário municipal de Saúde, Tiago Quintana, também tratou do assunto nesta quinta-feira. Na rede municipal de saúde de Venâncio Aires, ações para melhora do fluxo de atendimentos devem ser tomadas pela Prefeitura.

- Advertisement -
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado