Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo alerta sobre malefícios do consumo excessivo de bebidas alcoólicas

Em Venâncio Aires, o Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas, oferece apoio e atendimento

Neste domingo, 18 de fevereiro, é lembrado como o Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo. A data busca conscientizar sobre os malefícios do consumo excessivo de bebidas alcoólicas. No Brasil, 10% da população é dependente de álcool. O grupo Alcoólicos Anônimos (AA) oferece ajuda emocional para pessoas que querem largar o vício.

Em Venâncio Aires, o Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas, oferece apoio e atendimento. A coordenadora do Caps-AD, Patrícia Antoni, fala sobre o álcool ser um dos principais motivos para se buscar ajuda, justamente por ser uma substância lícita e aceita socialmente. “Sempre tem menos pessoas buscando ajuda do que realmente precisa. E o álcool é um dos principais motivadores da busca por tratamento, muito mais do que as outras drogas. Justamente por ser uma substância lícita, encontrada em todos os lugares, culturalmente e socialmente aceita. Ninguém crítica quem está bebendo, muito pelo contrário, existe o estímulo e até a cobrança de quem não bebe”.

Patrícia explica que quanto mais precoce o contato com o álcool, maior o risco de desenvolver problemas relacionados à bebida. Além disso, fala sobre o uso do álcool pelas mulheres, que é diferente do que o público masculino, sendo muitas vezes realizado de forma escondida. “Tem diversos estudos que apontam que quanto mais preconce o contato com o álcool, maior o risco de desenvolver problemas na vida adulta com o uso do álcool. Claro que a proporção entre homens e mulheres, sempre vai ser menor em mulheres. Mas, a preocupação é o uso escondido pelas mulheres. E com a pandemia, teve uma piora. O uso do álcool pela mulher, geralmente é feito dentro de casa, e de forma mais escondida. E pelos homens geralmente é feito em futebol, bares e locais mais públicos”, destacou.

A busca por ajuda, geralmente acontece a partir dos 40 anos, por vontade própria ou incetivo familiar. “A gente percebe que as pessoas mais jovens não buscam os serviços pelo uso do álcool. A maioria começam a buscar a partir dos 40 anos. Eu acho que no ínicio da vida adulto-jovem, não se percebe tantos prejuízos, porque o prejuízo do uso do álcool muitas vezes acontece à longo prazo. E não é só a questão física, é a questão social, prejuízo no trabalho, no relacionamento e prejuízo financeiro. Geralmente a busca por ajuda é espontânea, ou pela pressão da família, que incentiva a pessoa a buscar esse auxílio”, disse Patrícia.

O Caps-AD de Venâncio Aires atende de segunda a sexta-feira, das 07h30min às 17h30min, na rua 13 de Maio, nº 1543.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado