Eduardo Pazuello será efetivado como ministro da Saúde

Depois de quatro meses como ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello será efetivado no cargo. A cerimônia de posse ocorrerá na quarta-feira (16). 

Pazuello assumiu interinamente o comando da pasta em 16 de maio, em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Ele substituiu Nelson Teich que ficou um mês no cargo, tendo substituído Luiz Henrique Mandetta.

Nesses quatro meses, Pazuello defendeu o tratamento precoce de covid-19 e a autonomia de estados e municípios na adoção de políticas de isolamento social. Com ele à frente da pasta, o Ministério da Saúde estabeleceu uma nova diretriz com orientações para o uso precoce da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, inclusive para casos leves. Ao mesmo tempo, o ministro destacou que não vê nada de errado em questionar o uso do fármaco para esse fim.

General do Exército, Pazuello é especialista em logística. O militar foi coordenador logístico das tropas do Exército durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, além de ter coordenado as operações da Operação Acolhida, que presta assistência aos imigrantes venezuelanos que chegam a Roraima fugindo da crise política e econômica no país vizinho.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Venâncio Aires registra 18ª morte por coronavírus

Internada desde quatro de setembro no Hospital São Sebastião Mártir, a mulher de 59 anos tinha cardiopatia crônica e diabetes mellitus

Nota Fiscal Venâncio-airense realiza sorteio referente ao mês de setembro

Duas pessoas de fora, uma de Cachoeira do Sul e uma de Áurea, compraram no comércio local e também asseguram prêmios

Conheça os 208 candidatos à Câmara de Vereadores

Na tarde desta segunda-feira, 28, a reportagem organizou a lista de todos candidatos que registraram candidatura no Tribunal Superior Eleitoral

Governo anuncia criação do programa Renda Cidadã

Senador Márcio Bittar informou que o objetivo do programa é atender a milhões de brasileiros que, a partir de janeiro, com o término do pagamento do auxílio emergencial, "não terão do que sobreviver"
error: Recurso desabilitado