Vítimas de abuso infantil em Venâncio Aires realizam mostra de artes aberta ao público

O dia 18 de maio foi o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil no Brasil. Para marcar a data em Venâncio Aires, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) realiza até o próximo dia 31, a mostra “Ressoando em Cores”. A instalação, com trabalhos realizados pelas crianças e adolescentes durante as oficinas de arteterapia ministradas pela professora Voní Eidt, está aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12h, e das 13h30 às 16h.

O prefeito Jarbas da Rosa, a vice Izaura Landim e os secretários que atuam na rede de proteção às crianças e adolescentes vítimas de violência no município visitaram a exposição na última semana e destacaram a importância da arte na expressão dos sentimentos individuais e na ressocialização do indivíduo. “Nós temos o entendimento da importância desse trabalho em rede: saúde, educação e assistência social. E oportunizar cultura nesses momentos de fragilidade é fundamental para valorizar essas crianças e ressignificar a beleza da vida de cada uma delas”, destacou o prefeito Jarbas da Rosa.

O último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que os registros de abusos, agressões e maus-tratos a crianças de 0 a 9 anos mais que triplicaram. A violência ganha formas diferentes. Negligência e abandono, abuso sexual, violência física ou psicológica, torturas e trabalho infantil são as mais comuns. Em praticamente 98% dos casos, o agressor é um familiar. Apenas no CREAS Venâncio Aires são 30 famílias em acompanhamento de abuso atualmente.

A arteterapeuta Voní Eidt, curadora da mostra, realiza oficinas com pinturas, bordados, costuras, forração francesa, textos, entre outros, com crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social e medidas socioeducativas, bem como, um grupo LGBTQI+ no CREAS e CRAS do bairro Battisti. “Existem momentos de integração, trocamos ideias, permitimos a autoria de pensamentos e expressões. Quem vier visitar nossa exposição poderá sentir um pouco desses olhares e sentimentos em exposição”, conclui Voní Eidt.

Voní Eidt convida a comunidade a visitar os trabalhos realizados por vítimas de violência. (Foto: Assessoria de Imprensa PMVA)
Trabalho realizado por crianças e adolescentes durante as oficinas de arteterapia ministradas pela professora Voní Eidt (Foto: Assessoria de Imprensa PMVA)
Trabalho realizado por crianças e adolescentes durante as oficinas de arteterapia ministradas pela professora Voní Eidt (Foto: Assessoria de Imprensa PMVA)
- Advertisement -
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado