Empresários julgam auxílio da Administração Municipal insuficiente e confirmam carreata

Um grupo de empresários atingidos pela pandemia de coronavírus realizou nesta quinta-feira, 30, reuniões com o prefeito Giovane Wickert para discutir a disponibilização de auxílio financeiro. Na manhã desta sexta-feira, representantes do movimento participaram da programação da Rádio Venâncio Aires e classificaram como insuficientes os valores oferecidos pela Administração Municipal.

Conforme o prefeito Giovane Wickert, a Prefeitura de Venâncio Aires está oferecendo auxilio locação, vale-compras e antecipação de recebíveis. O projeto foi aprovado na sessão da Câmara de Vereadores desta semana. “É um movimento muito legítimo porque a situação deles é pior. Se para ninguém está, para outros está pior. Temos, inclusive, o acompanhamento da Secretaria de Segurança Pública. Incentivamos e apoiamos essa manifestação”, disse.

Para chamar atenção da comunidade para o movimento, o grupo promove uma carreata na tarde desta sexta-feira. A concentração será realizada às 13h30, na frente do Parque do Chimarrão. O movimento percorre as principais ruas da cidade a partir das 14h e está programada uma parada na frente da Prefeitura de Venâncio Aires. “O que foi aprovado ontem não vai nos ajudar. […] é um valor irrisório e de rir. É uma coisa que deixa a gente muito triste. Se eles tivessem mais vontade, poderiam ter conseguido algo melhor”, destacou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Por influência da família, Vinicius Medeiros retira nome da corrida ao Executivo

Vinicius Medeiros permanece como presidente do PSDB e deve comendar a sigla nas eleições municipais deste ano

Estado homologa decreto por conta da enchente em Mariante

Integrantes da Administração Municipal discutem próximas etapas

Menos da metade dos bebês foram amamentados apenas com leite materno

Apesar do baixo índice, o Brasil registrou aumento no número de crianças de até seis meses que receberam amamentação exclusiva já que, em 2006, esse percentual era de 37%
error: Recurso desabilitado