Prefeitura de Vale Verde veta passaporte da vacina

Na manhã da quarta-feira, 22, uma reunião entre representantes do Executivo, Legislativo e Vigilância Sanitária de Vale Verde, foi tratada a questão do passaporte da vacina para eventos no município, projeto de autoria do vereador Guilherme Ubatuba (MDB). Na oportunidade o Executivo explicou as dificuldades de colocar o projeto em prática, tendo em vista, que a Vigilância teria que invadir a privacidade em eventos particulares. 

O chefe do Executivo explicou que há vício de origem no projeto, ou seja, é uma prerrogativa do Executivo. Além disso, não há casos de contaminação da Covid-19 no município a mais de 30 dias, e a vacinação avança em todo o país. O vereador autor do projeto entendeu os argumentos e concordou com o veto ao projeto, mesmo achando que ele seria de importância, para evitar possíveis contaminações vindas principalmente de outros municípios. 

O grupo também ponderou a possibilidade de constrangimentos, pois qualquer pessoa que viesse a um evento, e mesmo tendo se vacinado, mas por ter esquecido a carteira, não poderia ingressar. Outro fator que somou na decisão do veto foi o impedimento do direito de ir e vir, que seria cerceado com a implementação do projeto. 

“O projeto do vereador é salutar, porém, quando analisamos a sua efetivação, percebemos que ele obriga as pessoas a se vacinarem, e a vacinação é apenas um direito, e não uma obrigação, ficando a escolha de cada um. E o mais desagradável seria fiscalizar e talvez autuar famílias em seus eventos particulares”, destacou o prefeito Carlos Gustavo Schuch. Sendo assim, não será cobrado passaporte da vacina em qualquer tipo de evento no município, seja público ou privado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Recurso desabilitado